..:: VIDA INTERIOR ::..

Adentrar ao mistério do amor

Ir. Ivoni Lourdes Fritzen

Um caminho para a interioridade, para o encontro do ser e do vir a ser da promessa, da aliança e da esperança. Um caminho em direção da profundidade, em direção à terra na qual se encontram as raízes, em direção a fonte onde percebemos o grande manancial capaz de saciar a sede, em direção à luz na qual caminhamos em paz.

Sem vida interior o ser humano perde a referência de si próprio, da comunidade, das relações, da natureza, dos princípios que sustentam e regem o universo e torna-se alheio a sua raiz mais profunda - a existência. Torna-se vazio, diluído, fragmentado a ponto de perder o sentido da existência. Sendo assim, o ser humano não consegue caminhar com metas seguras que lhe sustentam a esperança, não consegue atrair ou motivar, vislumbra o Foco mas se encontra paralisado frente ao ideal, preso a dimensões do passado fundadas em leis, critérios, poder ou burocracias, vive na superfície, nas aparências, na auto-referencialidade.

O ser humano é um ser “UNIDADE”. Infelizmente, o que constatamos nestes tempos de modernidade e pós modernidade, é que o Ser Humano perdeu o caminho do coração, vive a fragmentação de um dualismo não apenas do “corpo e da alma”, mas uma realidade de “caus” em que a usurpação do humano pelo sistema no mundo neoliberal tomou em grande parte a direção e o domínio inclusive dos desejos mais profundos de humanidade. A sociedade vive na alienação e por isso, necessita consumir, aparecer, ter,(...) mergulhando assim numa solidão estéril, num medo em total insegurança e na sedução dos estímulos exteriores que tendem a esvaziar, diluir e desumanizar. O ser humano, além da dificuldade de descer e esvaziar-se do excesso de informação, poluição,... perde a dimensão do coração, o contato consigo mesmo e com o mistério e acaba por viver “agido por alheios”, intoxicado, inconstante e distante da verdadeira sabedoria da vida que lhe dê sentido.

Interioridade é vivencia. Somos interioridade, pois somos inteiras. Somos envolvidas em todas as dimensões do nosso ser. Somos em coletivo, pois trazemos milhares de imagens e experiências em nosso corpo, em nosso ser.

Interioridade é silêncio fecundo e profético. È kenosis e graça. É pertença e interconectividade com todas as formas de vida e, com o cuidado do humano por excelência. É no silencio que o Ser Humano é capaz de guardar o tesouro original e saborear da doçura da vitalidade do amor.

Interioridade é Caminho. Um caminho que se intercruza e se relaciona com tantos caminhos, tantas encruzilhadas. Um caminho que necessariamente implica discernimento, escuta, redimensionamentos e decisões. O caminho para o humano na via da consagração passa pelo exercício das virtudes que apontam para a essência e contraposição dos vícios que chegam para corroer o núcleo da existência.

Interioridade é Mistério. Mistério de amor apaixonado que nos envolve, nos cria e recria, nos impulsiona e dinamiza para algo mais, para novas formas de ser e sentir, de compartilhar e se dar. Este é caminho para dentro, para todas as dimensões, para as entranhas mais profundas onde nos vem a energia vital, a força do viver. Vivenciar este caminho a Luz do Evangelho, a BOA NOVA – CRISTO JESUS consiste em identificar-se, permitindo um constante desvelar-se para uma realidade de transfiguração. Assim, tudo mais nos vem carregado de veneração e sacralidade. Pois, a profundidade do ser torna possível a verdadeira comunhão com tudo e com todos.

Das raízes profundas brotam respostas criativas e duradouras, relações fraternas sadias com todos e todas as formas de vida. A interioridade expansiva reforça o respeito mútuo, o cuidado com a criação no hoje e no amanha da humanidade.

Quem tem vida interior não está sozinho, “carrega em si o dom de ser capaz”, carrega lembranças, utopias, presenças, afetos...

Interioridade criativa: Deixar-se conduzir pelo Espirito. Logo, interioridade é um modo de ser e agir na existência, no fazer-se ou permitir que a vida nos faça. Deus está fazendo uma coisa nova, faz novas todas as coisas, é e será! A espiritualidade tem um componente de expansão que alarga o ser, dinamiza e eleva quando conhecido e assumido. É a partir da vivencia do Espírito que tudo tem um novo sentido, que podemos contribuir para a transformação da humanidade.

O Espírito faz o humano mergulhar e experimentar sua interioridade, perceber através da escuta os apelos da compaixão, da amortização, da da identificação com os outros e com o grande OUTRO - DEUS.

Viver a espiritualidade implica em estar na dinâmica da vida, donde “a VIDA no centro” vai orientando e conduzindo os caminhos da paz e do amor na superação da violência e maldade. Este caminho nos direciona a profundidade, a essência, a alegria genuína, aos valores humanos e as novas relações entre criaturas no cosmo.

O Espirito nos torna fecundas, nos ajuda a reorientar os caminhos, reconstruir as ruínas , restaurar e unificar nossos corpos na direção da plenitude.

O espírito ajuda-nos a fazer a travessia, tanto nas sombras como nos pontos de luz, até o centro de nós mesmas. Esta vivencia do Espírito nos habita e nos transforma. Nos sustenta e faz crescer na fraternidade. Age como princípio dinâmico, que mobiliza nossos recursos mais nobres em todas as dimensões. Viver segundo o Espírito!

Estratégias: A Oração é o caminho da interioridade que nos faz chegar ao “eu original”, o lugar santo, onde habita Deus. Este é o nível da graça, da gratuidade, da abundância, do silencio fecundo. É no coração que o criador marca ENCONTRO com seus filhos e filhas. “Deus é mais íntimo a nós do que nós mesmos” (Santo Agostinho). Na oração mergulhamos em Deus e libertamos em nós profundidades que desconhecemos. Ele é a verdadeira fonte.

Quando a oração revela um autentico face a face com Deus, ela faz emergir da nossa consciência as profundidades escondidas do nosso ser, libera melhores possibilidades, destrava estagnações, possibilita novos recursos, intuições. Faz o humano mais atento na escuta dos acontecimentos e das respostas em nível evangélico.

Precisamos viver mais nas raízes do nosso ser, na essencialidade, integrar e harmonizar todos os níveis da nossa pessoa. Corpo, afetividade, mente, coração,... com a fonte de nossa vida. O subir até Deus passa pelo descer até as profundezas do nosso coração. Somente quem “desce” até sua própria realidade, até o abismo do inconsciente, até a escuridão de suas sombras, até a impotência dos próprios sonhos, faz a experiência do encontro com o Deus verdadeiro.

O amor, a inspiração, a vida nos movem para dentro. Tudo o que esperamos já temos dentro de nós. Um dinamismo misterioso nos abre, nos atrai, nos impulsiona a ser, a viver.