Com reverência rezemos a
CONSAGRAÇÃO DA TERRA

Terra minha querida, Grande Mãe e Casa Comum!
Finalmente chegou tua hora de unir-te à Fonte de todo ser e de toda vida.
Vieste nascendo para isto, lentamente, há milhões e milhões de anos, grávida de energias criadoras.
Teu corpo, feito de pó cósmico, era uma semente no ventre das grandes estrelas vermelhas que depois explodiram, te lançando pelo espaço ilimitado.
E como expressão nobre da história da vida nos gerou a nós, homens e mulheres.
Através de nós, tu, Terra querida, sentes, pensas, amas, falas e veneras.
E continuas crescendo, embora adulta, para dentro do universo rumo ao Seio do
Deus-Pai e Mãe de infinita ternura. D’Ele viemos e para Ele retornamos com uma implenitude que só Ele pode preencher.
E agora, Terra querida realiza o gesto de Jesus na força de seu Espírito.
Como Ele, cheio de unção, te tomo em minhas mãos impuras, para pronunciar sobre ti a Palavra Sagrada que o universo escondia e tu ansiavas por ouvir:
“Isto é o meu corpo. Isto é o meu sangue”.
E então senti: o que era Terra se transformou em Paraíso e o que era vida humana se transfigurou em vida divina. O que era pão se fez Corpo de Deus e o que era vinho se fez sangue sagrado.
Por isso, de tempos em tempos, cumpro o mandato do Senhor.
Pronuncio a palavra essencial sobre ti, Terra querida, e sobre todo o universo.
“E junto com ele e contigo nos sentimos o Corpo de Deus, no pleno esplendor de sua glória”.

(Leonardo Boff)